Artigos

Aprendizagem transgeracional nas Festas Tradicionais de Outono (Akimatsuri) do Japão: um olhar da Educação Ambiental

Tags: Educação Ambiental , Identidade Cultural , Conhecimento Tradicional

Atenção! O artigo não pode ser utilizado total ou parcialmente.

Lucia Shiguemi Izawa Kawahara
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Mato Grosso [UFMT] onde cursou Pedagogia e Mestrado em Educação. Pesquisadora e educadora ambiental do Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte – GPEA/UFMT; analista de meio ambiente da Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA/MT e professora do Centro Universitário Varzeagrandense – UNIVAG/MT. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na Educação Ambiental, Serviços Ecossistêmicos do Milênio e formação de professores.

RESUMO:
O presente texto aborda as reflexões sobre os resultados obtidos do recorte da pesquisa de doutorado realizado como parte do projeto “Pantanal Millennium”, que integra o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Áreas Úmidas (INAU). A investigação no Japão buscou conhecer as manifestações culturais nipônicas relacionadas à identidade territorial e quais táticas são utilizadas pelas comunidades tradicionais para manter a coexistência da tradição e do desenvolvimento econômico. O trilhar metodológico conduzido à luz da fenomenologia permitiu a realização de observações, entrevistas e estudos bibliográficos. Os dados revelaram que a manutenção da cultura é garantida pela aprendizagem transgeracional com adequações criadas e acordadas no bojo da comunidade. Tais construções à consecução da identidade territorial nos remetem a reforçar a importância da Educação Ambiental Pós-Crítica que busca valorizar os saberes locais e tradicionais como importantes conhecimentos à construção de sociedades mais sustentáveis.  

PALAVRAS-CHAVE: educação ambiental, identidade cultural, conhecimento tradicional.

Atenção! O artigo não pode ser utilizado total ou parcialmente.

Artigos relacionados

  • Akira Kurosawa, Kenzaburo Oe e a perspectiva ecologista de educação

    Marcos Reigota, Professor do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade de Sorocaba, em São Paulo.   RESUMO: Nessa narrativa são abordadas algumas questões e acontecimentos políticos, culturais e acadêmicos relacionados com o Japão que colaboraram com a elaboração da perspectiva ecologista de educação. Essa vertente da educação ambiental tem o seu ponto de partida