Facebook Twitter

Curso Marugoto JFまるごと日本語講座

Curso de Língua Japonesa Marugoto da FJSP

Luciane Yuri Sato (Intermediário 1 – 2º semestre/2015)
Luciane Yuri Sato (Intermediário 1 – 2º semestre/2015)

Por que começou a estudar japonês?
Há 2 anos fui ao Japão junto com meus pais e meu marido que queria muito conhecer o “outro lado do mundo”. Descobri que meus avós maternos vieram de Hiroshima, fugidos da guerra. Retornei ao Brasil decidida a estudar japonês para conhecer melhor sobre mim mesma e sobre esse povo sofrido da guerra, que se reergueu tão rapidamente.

E por que Marugoto?
Aqui não estou aprendendo apenas língua japonesa. Aprendo, acima de tudo, sobre a cultura japonesa e suas relações com o Brasil e outras culturas. No Marugoto, os livros não são em preto e branco, com fotos de pessoas usando calça boca-de-sino. Eles são coloridos, com fotos atuais. Não ficamos somente dentro da sala de aula, há atividades extra-classes e tudo é preparado com muita antecedência e organização. No Marugoto, há liberdade para desenvolver a criatividade. Por causa do curso, desenvolvi um blog e penso, no futuro, em melhorá-lo, trazendo informações sobre o Japão. Na Fundação Japão, onde temos as aulas, há uma biblioteca que é um universo paralelo a ser descoberto.


Bruno Cardoso (Introdutório Rikai – 1º semestre/2015)
Bruno Cardoso (Introdutório Rikai – 1º semestre/2015)

Meu interesse em aprender japonês começa na minha vontade de visitar o Japão. Não sendo descendente de japonês e como o meu contato com a cultura oriental é praticamente zero, fora a culinária e restaurantes japoneses, comecei a pensar no que poderia ser feito.

Como não tenho fluência em Inglês, percebi que talvez todo o esforço para atravessar o mundo e realizar a viagem não seria aproveitado na melhor forma possível e como meu ritmo de viagem e totalmente diferente da maioria convencional, não gostava da ideia de contratar um guia ou ser parte de uma excursão com horários amarrados e passeios já fechados.

A única solução que encontrei para realizar essa vontade foi em aprender a língua nativa onde só assim poderia extrair o máximo de minha viagem para a terra do sol nascente.

Comecei a pesquisar na internet cursos de língua japonesa, encontrei alguns, e ao analisar o site, material e método de ensino, o curso Marugoto me pareceu bem mais estruturado que os demais e ainda possuía o respaldo da Fundação Japão. Outro ponto observado foi a localização do curso próximo ao metrô e os horários disponibilizados, pontos esses que influenciaram a minha escolha.

No começo a experiência foi bastante chocante, no meu caso, pois não há relação nenhuma com as línguas latinas ou semelhanças e tive realmente que começar do zero. Exatamente o que o curso propõe no modulo inicial. Mas com paciência e ainda mais a paciência da professora estou adquirindo conhecimento e entendimento nos diversos alfabetos e na forma de me expressar oralmente em assuntos do cotidiano. Necessita de bastante empenho e dedicação por parte do aluno, o material é divertido e dinâmico, com recurso de diversas fontes on-line para pesquisa e aprendizado, sem contar com a biblioteca onde você pode encontrar uma vasta fonte de referência sobre assuntos e temas ligados ao Japão.

O que também ajuda é a classe bastante heterogênea que auxilia na troca de experiências e feedbacks agregando ainda mais ao seu aprendizado.

Pretendo continuar no curso e cada vez mais poder entender e me expressar na língua. Recomendo!


Alessandra Misura (Básico 2 Katsudo – 1º semestre/2015)
Alessandra Misura (Básico 2 Katsudo – 1º semestre/2015)

Depois de um tempo estudando o Marugoto, percebi que não adianta apenas estudar a língua japonesa. Ao estudar mais de uma vez alguns tópicos, comecei a perceber que a língua japonesa não é apenas uma outra forma de falar, mas é também uma outra forma de pensar e de agir. Agora posso dizer que vejo o aprendizado da língua japonesa com outros olhos.

Primeiro eu achei que estudar japonês se tratava apenas do aprendizado de uma nova língua, aprender a saber como falar as coisas, a traduzir as frases cotidianas ou ouvir e entender o que me falam. Porém descobri que não se trata apenas da comunicação, se trata também da expressão. No Marugoto aprendi uma coisa muito importante: que não é apenas entender o que vou dizer, mas também como dizer e em que situação dizer. Não é só aprender a falar e escrever, mas também é aprender a forma de pensar do Japão.


Carolina Moriya (Pré-intermediário ② – 1º semestre/2015
Carolina Moriya (Pré-intermediário ② – 1º semestre/2015

O que mais me surpreende no Curso de Japonês Marugoto da FJSP é o constante empenho dos professores e da equipe pedagógica em oferecer as melhores e mais atualizadas formas de aprendizado aos alunos. Por isso, os assuntos abordados no livro são muito práticos, muito próximos de nosso cotidiano, e os professores utilizam metodologias baseadas em pesquisas de ensino do idioma japonês.

Além disso, o material do curso é muito rico: temos uma mini-apostila só de vocabulário, material de apoio de gramática, CDs com áudio, o livro do Marugoto que engloba tudo isso (gramática, vocabulário, conversação, kanjis), entre outros materiais!
Tudo isso serve de apoio para que o próprio aluno procure ser mais independente e tenha iniciativa para estudar também após a aula.


selecione um ano: