Aquisições da Biblioteca


A Saga Otori – 3 vols.

Lian Hearn, Tradução de Waldéia Barcellos (v.1), Monica Stahel (v.2 e 3), São Paulo: Martins Fontes, 2002 – 2004

Em português
ver resenha

x

“O enredo dos livros (…) transcorre num país imaginário, num período feudal. Não se pretendeu que a ambientação ou a época correspondesse a uma era histórica verídica, embora se encontrem traços de muitos costumes e tradições japonesas, e a paisagem bem como as estações sejam as do Japão” (do autor). “Criado entre os Ocultos, povo isolado e voltado para o desenvolvimento da mente, Takeo conhece apenas os caminhos da paz(…) Quando sua vida é salva pelo misterioso Senhor Otori Shigeru, Takeo inicia a jornada que o levará ao encontro de seu destino, no interior das muralhas de INUYAMA. Em seu trajeto ele irá conhecer vingança e traição, honra e lealdade, beleza e magia, além da avassaladora paixão amorosa.” (da contracapa).

Memórias de uma Gueixa 3ed.

Arthur Golden, tradução de Lya Luft. Rio de Janeiro: Imago, 2006

Em português
ver resenha

x

Romance de estréia de Arthur Golden em sua terceira edição, seguindo o lançamento do filme baseado neste, traz as confissões e as histórias de vida de uma das gueixas mais renomadas do Japão, Nitta Sayuri. Conduzido pela personagem, o leitor entra num mundo onde oque mais conta são as aparências, onde pode-se leiloar a virgindade de uma criança, onde mulheres são treinadas para enfeitiçar os homens mais poderosos, e onde o amor é desprezado como uma ilusão. A biblioteca possui a versão original em inglês e a versão em japonês.

O Dedo do Imperador e Outros Contos Japoneses

Tradução de Cecília Casas e prefácio por Rodrigo Manzano. São Paulo: Landy Editora, 2005

Em português
ver resenha

x

É uma série de contos populares japoneses colhidos da tradição oral representando uma parte
do repertório transmitido durante séculos de geração a geração. Refletem tanto recomendações de caráter moral, como também a cristalização daquilo que compõe as relações entre homem e a natureza, o homem e sua religiosidade, o homem e seus pares.

O Portal de Rashomon: um ministério do Japão antigo

I. J. Parker, Tradução de Vera Maria Marques Martins. São Paulo Editora BestSeller, 2002

Em português
ver resenha

x

“Japão, século XI, na universidade de Heian Kyo, capital do império, circulam os mais veneráveis e eruditos mestres do Oriente. (…) O jovem Akitada Sugawara atendendo aos apelos de um antigo professor, se faz passar por seu assistente a fim de desvendar um caso de chantagem que se desenrola nos bastidores da escola. Uma escalada de brutais assassinatos e de acidentes estranhos desafiam a inteligência de Sugawara e o arrastam para a zona mais escura da alma humana, onde reinam a ambição, o ciúme e a mais fina e sofisticada crueldade.” (da contra-capa)

Viagem ao Japão

Introdução, seleção, tradução e notas de Renata Cordeiro, São Paulo Landy Editora, 2004

Em português
ver resenha

x

“Este livro mostra as nuanças variadas do Japão. Está dividido em três partes – a primeira introduz as origens, a história, a religião e outros temas de valor específico na constituição da cultura e feição do Japão. A segunda traz uma antologia de textos de viajantes europeus, que narram fatos, descrevem detalhes da vida japonesa do século XIX e mostram muito do temperamento, nuances políticas, artísticas e religiosas do povo japonês. A terceira traz 100 haicais originados de poetas japoneses, de Sogi a Shiki. Antecede os poemas, uma introdução que aborda as origens, a estrutura, forma e conteúdos.

Amor Insensato

Junichiro Tanizaki; tradução do Jefferson José Teixeira. São Paulo:Companhia das Letras, 2004

Em português
ver resenha

x

Descreve a peculiar relação entre um homem adulto e uma garota muito jovem, nas primeiras décadas do século XX. É um livro revelador sobre o início do processo de ocidentalização da cultura japonesa. O engenheiro Joji Kawai se encanta por Naomi, jovem garçonete cujo maior desejo é estudar. Joji assume o papel de seu tutor e leva-a para viver consigo. Os dois desenvolvem uma relação “inocente”, ele orienta os estudos de inglês e música da menina e lhe dá demorados banhos de banheira, “brincadeiras” registradas por escrito e em fotos num diário mantido por Joji.