Comentários

  1. Em 27 de junho de 2014 às 20:47
    Zilda S. de Freitas disse:

    PENA QUE O EVENTO SEJA REALIZADO EM LOCAL DE DIFICIL ACESSO PARA O GRANDE PUBLICO.

    A FUNDAÇÃO JAPAO ,,QUE TANTOS SERVIÇOS PRESTA Á SOCIEDADE PAULISTANA ,NÃO PODERIA
    REALIZAR UMA EXIBIÇÃO EM LUGAR MAIS NO CEN TRO DA CIDADE?

    AGRADEÇO SUA ATENÇÃO

    • Bom dia, Zilda, ficamos muito agradecidos por seu comentário, e gostaríamos de destacar algumas informações.

      A vinda do grupo INSPi está sendo promovida exclusivamente para a participação no Festival do Japão, que já está em sua 17ª edição. Este evento não é promovido pela Fundação Japão, mas pela Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil (KENREN), entidade que reúne as 47 associações de províncias do Japão no Brasil.

      As primeiras edições aconteceram no Parque do Ibirapuera, e depois no estacionamento da Assembleia Legislativa. Mas por conta do grande número de pessoas que o evento atraia, foi necessário encontrar um local mais amplo.
      Esta grande participação do público de São Paulo e até mesmo de outras regiões que vêm para a cidade especialmente para o evento fizeram com que o Festival do Japão fosse incluído no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, em 2002, e no Calendário Oficial de Eventos da cidade de São Paulo, em 2004. E é justamente pelo fato da Fundação Japão em São Paulo compartilhar dos mesmos objetivos do evento, que são a divulgação da cultura e das tradições japonesas, em um evento sem fins lucrativos, é que participamos anualmente, sempre levando atrações para deixar o Festival ainda mais atrativo.

      Quanto ao acesso ao local, a organização do evento oferece algumas facilidades: aos adeptos das bicicletas, haverá um bicicletário gratuito, na entrada do evento. Para quem utiliza o transporte público, haverá ônibus gratuitos fazendo o trajeto de ida e volta do Centro Imigrantes. Eles sairão da estação Jabaquara do metrô a partir das 8 horas da manhã e funcionarão até às 22 horas. E então, será que vamos ter a honra de recebê-la em nosso estande desta vez? Se mesmo assim ficar difícil, não se preocupe. Já estamos organizando novos eventos.

      Visite a nossa página regularmente que logo teremos novidades!

  2. Eu sou coralista há mais de 50 anos e atualmente canto no CoralUSP, onde tem aproximadamente 450 coralisras.
    Adoro coral.
    Gostei muito deste evento da FJ de promover música de coral.
    Infelizmente existe na colônia de nikkeis do Brasil um pensamento geral que a música japonesa é KARAOKE
    Japão tem uma cultura forte de coral como Alemanha.
    JF deveria contunuar com eventos para apresentar ao público brasileiro e principalmente aos nikkeis do Brasil os grupos de músicas clássicas.

Deixe uma resposta


Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.