Mukashi Mukashi – Era uma vez no Japão

Fundação Japão apresenta: "Mukashi, Mukashi, Era uma vez no Japão" da Cia. Ópera na Mala

Mukashi Mukashi-era uma vez no Japão

Serviço

Espetáculo “Mukashi Mukashi, Era uma vez no Japão” com Cia. Ópera na Mala

Data: 14 de maio de 2010, às 11h e 15h (sexta-feira)

Duração: 50 minutos

Censura: 5 a 10 anos

Local: Espaço Cultural Fundação Japão
Av. Paulista, 37 – 1º andar – Paraíso

Entrada Gratuita

É necessário fazer inscrição prévia com envio de nome e telefone de contato para o e-mail info@fjsp.org.br

Capacidade 100 pessoas

Informações:
Fundação Japão em São Paulo
Tel: (11) 3141-0843 / 3141-0110
www.fjsp.org.br

A Fundação Japão em São Paulo recebe a peça “Mukashi, Mukashi, Era uma vez no Japão” da Cia. Ópera na Mala, no dia 14 de maio de 2010, no Espaço Cultural da instituição. Destinada ao público infantil, o espetáculo acontece gratuitamente em duas sessões, às 11h e 15h, com duração de 50 minutos.

Mukashi Mukashi-era uma vez no Japão

Imagens: Divulgação

Composta por cinco histórias baseadas em contos tradicionais japonesas, a peça, que teve estréia em 2007, conta com clássicos como Urashima Taro (pescador que salva uma tartaruga), Tanabata (amor impossível de dois jovens que se tornam estrelas), Kasa Jizo (santinhos de pedra “jizo” que ajudam um casal de velhinhos, Issunboshi (um menino que não crescia) e  Hagoromo (“Manto de Pluma”), são reinterpretadas pela dupla de atores Cris Miguel e Sergio Serrano com música ao vivo com instrumentos tradicionais (shamisen e taiko), teatro de sombra, bonecos e brincadeiras.

Mukashi Mukashi - era uma vez no JapãoMukashi Mukashi - era uma vez no JapãoMukashi Mukashi - era uma vez no Japão

A Cia Ópera na Mala nasceu em 1998 realizando performances e espetáculos voltados ao público infantil, tornando-se referência no segmento, fazendo apresentações pelo Brasil, Suíça, Áustria e Itália. Em 2007, o grupo recebeu o Prêmio Femsa, melhor trilha sonora pela peça “Raimundo e a Menor Banda do Mundo”. No mesmo ano, estréia o programa “Baú de Histórias”, com realização TV Ratimbum e TV Cultura, que está na quarta fase de produção e se tornou um espetáculo em 2008.

A “Rainha Marmota” recebeu, em 2005, prêmio Coca Cola FEMSA na categoria especial pela cenografia e bonecos, além do prêmio Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA). Com  “Os Fantasmas da Òpera”, Sergio Serrano recebe prêmio Coca Cola 99 de melhor ator.

O grupo tem se apresentado desde 1998 pelas unidades do Sesc da capital e interior, casas de cultura e projetos como Caravana Paulista de Teatro, Mosaico Teatral, Mostra de Teatro de bonecos do Sesi, Recreio nas Férias, CEUS, Projeto Escola Aberta da Prefeitura de São Paulo, Circuito Cultural Paulista, Festival de bonecos de Canela, várias edições do Festival Espetacular de Bonecos de Curitiba, Festival de Inverno de Campina Grande, Festival Fabrica Europa de Firenze, entre outros, além de temporadas no Teatro Cacilda Becker, Centro Cultural Vergueiro, Itaú Cultural, Teatro Alfa e Teatro Folha.

 

Histórico

Mukashi  Mukashi - era uma vez no Japão - atores

Cris Miguel é atriz, acordeonista, cantora e dançarina. Estudou música na Faculdade de Artes do Paraná. Fez cursos de teatro e cinema, dentre eles o CPT com Antunes Filho, Fátima Toledo, Tisuka Yamasaki. outros. Como cantora e instrumentista, fez aulas com Cida Moreira, percussão com UAKTI e Paulo Campos, canto indiano com Ratnabali Adkari. Integrou grupos vocais, grupos de percussão e o grupo de forró “Joanete deu no Pé” dirigido por André Abujamra. Desde 97, integra o grupo de músicas étnicas Mawaca, que desenvolve uma pesquisa com músicas de vários povos. Fez diversos shows no Itaú Cultural, União Cultural Brasil Estados Unidos, Crowne Plaza, unidades do Sesc da Capital, Rock in Rio Festival 2002 na tenda Raízes, Centro Cultural de Israel, na Hebraica, Casa de Portugal, entre outras, em 2003 participou do festival Womex, em Sevilha – Espanha.

Sergio Serrano é ator, músico, artista plástico, designer gráfico e autor de histórias para crianças. Estudou Artes Plásticas na Faculdade de Belas Artes e Música na Fundação das Artes de São Caetano. Trabalhou com o grupo XPTO de 91 a 96 com os espetáculos: “XPTO Mega Mix”, “Babel Bum”, “Coquetel Clown”, “Aquilarre 2000 La Luna”. Criou cenários e bonecos para vídeo e teatro, entre eles”Zabumba “ e “Romance” da Cia da Tribo, “O Macaco Simão” da Cia Furunfunfum, Mulheres Negras, XPTO, entre outros.

Fundou em 92 a Cia Teatro de Papel com “A Incrível História do DR. Augusto Ruschi o naturalista e os saposvenenosos”. Em 96 ganhou o prêmio estímulo da Secretaria do Estado da Cultura para produção do espetáculo de sua autoria “A Terra do Povo da Graça”, recebendo o Prêmio Coca Cola de Teatro Jovem de melhor cenário; Prêmio Especial de pesquisa de linguagem. Realiza trabalhos de ilustração para Editora Saraiva, Editora Atica, Edições Paulinas e Nova Didática, onde tem diversos livros publicados.

Deixe uma resposta


Seu e-mail não será publicado. Seu comentário poderá ser moderado.